Bahia

Sem aglomeração celebração de São Jorge e carreata ocorrem no Centro Histórico transmitidas pela internet

Missa na paróquia de Jardim Cruzeiro será presidida pelo padre Clóvis Souza Santos e pode ser acompanhada pelas redes sociais. No Centro Histórico, haverá carreata durante a tarde e missa com 50 pessoas na Igreja de São Francisco

Assim como ocorreu em 2020, a festa de celebração a São Jorge, nesta sexta-feira (23) é transmitida pela internet e não haverá missa presencial na igreja dedicada ao padroeiro. Por causa da pandemia da Covid-19, as missas na única paróquia dedicada ao santo em Salvador, no bairro de Jardim Cruzeiro, serão exibidas pelos canais da igreja pelas redes sociais.

Para acompanhar as missas, os fiéis podem se conectar aos perfis da paróquia no Instagram ou no Facebook. Os festejos serão presididos pelo padre Clóvis Souza Santos, e as celebrações eucarísticas acontecerão das 8h às 19h.

Também em homenagem a São Jorge, serão celebradas missas com público na Igreja de São Francisco, no Centro Histórico de Salvador, com quantidade de pessoas limitada. Os festejos tiveram início com a alvorada, às 5h, e prosseguem durante o dia.

O acesso dos fiéis será por ordem de chegada até completar o total de 50 pessoas dentro do templo. A missa também será transmitira pela internet, através do perfil da paróquia no Instagram.

Às 15h haverá a carreata de São Jorge, pelas ruas do Centro Histórico, em um carro do Corpo de Bombeiros, e às 16h30 será celebrada a Missa Solene, dirigida pelo frei Juscelino da Silva Pinto, OFM.

São Jorge, tela do pintor paraibano Flávio Tavares .

Quem foi São Jorge

Nascido por volta do século III, na Capadócia, região que atualmente pertence à Turquia, e filho de pais cristãos, Jorge aprendeu ainda na infância a ser obediente a Deus e a crer em Jesus Cristo como o seu único Salvador. Após a morte do pai, ele se mudou para a Palestina com a mãe, onde foi promovido a capitão do exército romano devido à dedicação e, aos 23 anos, já exercia altas funções na corte imperial.

Na época, o imperador Diocleciano planejava mandar matar todos os cristãos e, no dia em que o senado confirmaria o decreto imperial, Jorge declarou-se espantado com a decisão e passou a afirmar que os ídolos adorados nos templos pagãos eram falsos deuses, e defendeu somente a fé em Jesus Cristo.

Ao ouvi-lo, o imperador mandou torturá-lo até que ele negasse a fé em Jesus, entretanto Jorge continuou firme como servo de Deus e não fez o que o imperador queria. Insatisfeito, Diocleciano mandou degolar Jorge no dia 23 de abril de 303.

*G1BA


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp