Jornal Nacional ignora áudio-bomba de Dallagnol e prova cumplicidade da Globo com a Lava Jato 4 de março de 2021, 21:57     247 – Diferente de outras emissoras, como a Record e a CNN, a Globo, através do Jornal Nacional, ignorou completamente o áudio-bomba do procurador Deltan Dallagnol divulgado nesta quinta-feira (4) através de uma petição apresentada pela defesa do ex-presidente Lula ao Supremo Tribunal Federal. No áudio, o então coordenador da hoje extinta força-tarefa da Lava Jato relata a outra procuradora, a quem chama de Isabel, uma conversa que teria tido com a juíza Gabriela Hardt, substituta de Sergio Moro, no gabinete da magistrada. Ele indica uma pressão por parte dos procuradores para que ela assinasse a sentença do sítio de Atibaia, que condenou Lula e dá a entender que ela estaria com muito trabalho. Desde o início da divulgação da chamada ‘Vaza Jato’, pelo The Intercept, que a Globo ignora qualquer diálogo entre procuradores acessado pelo hacker Walter Delgatti. No entanto, sempre dá as defesas trazidas por Moro, que nem confirma, nem nega ter escrito as mensagens. Hoje, o áudio não deixava dúvidas que a voz era de Deltan, mas mesmo assim, a conversa – gravíssima – não foi trazida à tona. O principal telejornal da emissora também ignorou a conversa – esta por escrito – em que Deltan Dallagnol afirma que a ministra do STF Cármen Lúcia teria ordenado ao então ministro da Justiça Raul Jungmann que o ex-presidente Lula não fosse beneficiado com um habeas corpus recebido pelo desembargador Rogério Favreto, do TRF-4, durante um plantão, tirando Lula da prisão. Jungmann negou ter sido procurado pela ministra


LEIA MAIS


Receba Notícias no WhatsApp